Comprando um novo PC

Comprar um PC novo pode parecer uma tarefa muito mais complexa e extenuante do que o imaginado. O barato pode acabar saindo caro, o PC bonitinho pode acabar sendo ordinário. Bonitinho porém ordinário…

Quando você vai comprar um PC, qual é o fator decisivo na hora H? A maioria das pessoas escolheria um PC pelo processador. O fato dele ser um Intel, um quad corem um xyz… Mau negócio… Outra grande parcela das pessoas compraria um PC pela quantidade de memória… outro mau negócio. Uma pequena parcela ainda escolheria um PC de acordo com a quantidade de HD em sua configuração… Novamente um mau negócio.

Em primeiro lugar, devemos lembrar que um bom PC é o resultado de uma equação equilibrada. Não adianta ter demais alguma coisa e de menos outra…

Bem, começando… Quem é que ao comprar o PC perguntaria da placa mãe em primeiro lugar? Esse sim seria o mais prudente dos compradores.

Placa mãe ou motherboard é o componente que integra todos os outros, e é por isso que um bom desempenho é reflexo de uma boa escolha, afinal, se a integração é bo0a o desempenho é bom.

A escolha de uma boa placa mãe é o pontapé inicial na aventura de ter um PC eficiente. É preciso escolher uma placa mãe que atenda a todas as nossas necessidades, com um bom chipset e com a possibilidade de futuros upgrades, quanto mais processadores ela suportar (do processador escolhido em diante), quanto mais memória ela suportar, maior será a vida útil desse PC.

O chipset tem um papel especial na escolha da placa mãe, afinal é ele quem dita praticamente tudo na placa mãe. Todos os recursos disponíveis numa placa mãe são reflexo do chipste escolhido. Quanto de memória a placa aceitará, qual a velocidade que o processador deve rodar, quais recursos a placa terá, tudo isso é ditado pelo chipset.

Uma placa mãe boa nos dias de hoje deveria ser offboard,  4 slots de memória (de preferência DDR3), ter pelo menos 1 slot PCI-X 16x para vídeo (o desejável é que tivesse 2 para Crossfire o SLI), vários outros slots de expansão (quanto mais melhor), capacitores sólidos (normalmente os capacitores são os primeiros componentes que dão problemas) e que  a placa possa ter o maior número de upgrades possíveis,  aumentando assim sua vida útil.

Infelizmente aqui no Brasil, contamos com 2 realidades: a configuracão ideal e a configuração real. Sabemos que a maioria das pessoas não podem/conseguem ter os melhores equipamentos que temos no mercado (e isso não é o fim do mundo), e muitas vezes recorrem a configurações mais básicas e com placas onboard. Se não existe outra solução, compre uma onboard boa e com um chipset da mesma qualidade. Para as placas onboard recomendo as placas Black Edition da ECS e as placas da ASUS, são mais caras (cerca de R$70,00), porém é um ótimo negócio e a diferença será o dinheiro mais bem gasto do mundo.

Motherboard boas: ASUS, Abit, Iwill, Soltek, Epox, MSI (offboards), Gigabyte (offboards), Saphire, XFX, NVidia, ECS (Black Editions), DFI, EVGA, Intel,  Biostar (importada).

Chipsets bons: ATI, AMD, NVidia, Intel (desde que a placa não seja onboard, já que o controlador de vídeo da Intel é muito, muito ruim), VIA (desde que a placa não seja onboard, já que o controlador de vídeo da VIA, o Savage S3 é muito, muito ruim).

Fuja das placas PCChips e ASRock e do chipset SIS. Já as placas ECS (que não sejam Black Edition), Gigabyte (onboard), MSI (onboard), Digitron, Phitronics, Foxconn e Terra, são placas ordinárias e de qualidade baixa.

Lembre-se sempre que o maior problema de comprar computadores em grandes magazines é que eles nunca trazem a placa mãe usada na montagem em sua descrição, tornando-se impossível denominar se estamos comprando uma boa configuração ou não.

Veja na imagem acima á esquerda uma placa mãe offboard da Saphire e á direita uma onboard da ASUS. Preste atenção no detalhe e veja que apesar de onboard essa placa prima sua qualidade e traz inclusive capacitores blindados que só encontrávanos em placas offboards mais caras.

O Processador normalmente é o componente do PC no qual a maioria das pessoas, de forma incorreta baseia a sua compra.

No mercado de processadores, temos muito menos diversidades que no caso das placas mãe, porém da mesma forma é preciso cautela na sua compra.

Hoje básicamente temos 2 fabricantes de processadores (excluindo a VIA que lança 1 processador a cada não sei quantos anos e geralmente vem soldado a placa mãe) Intel e AMD. Cada fabricante tem normalmente 3 linhas de processadores:

1ª linha:

Intel: Core2Duo, Core2Quad, Core i5 e Core i7;

AMD: Athlon X2, Athlon II X2, X3 e X4, Phenon X2, X3 e X4, Phenom II X2, X3, X4 e X6.

2ª linha:

Intel: Core i3, Celeron, Celeron D e Celeron Dual Core;

AMD: Senprom e Senprom X2.

Linha Mobile:

Intel: Atom, CoreDuo, Core2Duo;

AMD: Turion, Turion X2.

Ainda lembrando que se for necessário fazer economia de algum tipo, não a faça com a placa mãe, prefira economizar no processador, já que futuramente é mais fácil trocar o processador do que a placa mãe. Sem contar que com uma placa mãe boa o desempenho do sistema será o melhor possivel já que extrairá o máximo possível do processador escolhido.

Não se esqueça ainda que dizer que uma marca de processador é melhor que a outra, é ser simplório demais, afinal, depende de qual aplicação será usada, e cada um tem seu forte. A AMD por exemplo, por trazer mais instruções multimídia, sempre se deu melhor nesse campo, jogos, filmes, compilações de audio e vídeo, já a Intel que sempre teve um co-processador aitimético muito superior, destaca-se em aplicações pesadas como banco de dados e renderização 3D.

Outro dos componentes principais do PC é a memória. Assim como o HD, é claro que quanto mais memória tivermos, melhor é, porém o que a maioria das pessoas desconhece é que muitas vezes ter muita memória não é sinônimo de maior desempenho. Deixe-me explicar melhor:

Digamos que um usuário tem um PC com 2GB de memória e que tem sentido uma enorme lentidão.  O mesmo usuário vai a uma loja com vendedores incautos e explica sua situação. Os vendedores então vendem-lhe mais 1 pente de memória de 2GB. Ao voltar para casa, nosso usuário liga o PC todo excitado achando que o memso estará muito mais rápido, porém qual não foi sua surpresa ao constatar que nada mudara no sua rotina? Porque nosso usuário não teve ganhos expressivos? Ou melhor, porque ele não teve ganho algum?

Nem sempre a lentidão é causada pela memória. Pode ser causada por um processador que não dá nais conta da carga de processos, de um HD sem o mínimo de espaço necessário para um bom desempenho, uma fonte que não consegue suprir a necessidade necessaria do PC… pode inclusive ser algum processo malicioso comprometendo todo o poder de processamento.

Antes de dar um veredito, é necessário fazer alguns testes, porém o mais fácil é abrir o Gerenciador de Tarefas (que pode ser feito com o conjunto de teclas ctrl + alt + del) nos momentos de lentidão e observar a carga  do processador e da memória (agora, mostrarei apenas como lentidão pode não ser causado pela memória). Veja na tela abaixo:

Suponhamos que o PC do nosso usuário estivesse como o PC acima. Seria impossível ter um ganho de desempenho por adicionar mais 2GB se RAM de se está sendo usado apenas 706MB dos 2GB que havia na máquina, ou seja… se não se usa nem 2GB, nuito menos 4GB.

Lembrando ainda que Sistemas Operacionais de 32Bits só conseguem endereçar 3GB de memória. Dependendo do SO ele até reconhece 4GBs, porém só endereça 3GB. Mais que isso só migrando para um SO de 64Bits.

Resumindo tudo que foi dito até agora, escolha a quantidade de memória cautelosamente para que não falte e nem que sobre demais (afinal seria desperdício ter memória parada). Saiba primeiramente qual a finalidade do seu PC. Para que é que você o usará e assim fica mais fácil de escolher todo o hardware dele, inclusive saber qual a quantidade recomendada de memória RAM para você.

Outro fator de suma importância aqui é saber quantos pentes de memória será usado para a montagem da máquina. Lembrando que processadores Intel do Pentium 4 Willamate em diante transferem 4 cargas de dados por ciclo de clock e a memória DDR (DDR2 e DDR3 também) transfere apenas 2, é necessário usar 1 par de pentes para habilitar o Dual Channel e assim trabalhar com a mesma taxa de transferência do processador.

Para habilitar o Dual Channel é necessário 1 par de memórias identicas na frequência e de preferência na quantidade e da latência (criarei posteriormente um post para falar apenas de Dual Channel e explicá-lo em pormenores), o ideal seria usar pente de memórias gêmeas, mas devido os altos preços e a dificuldade em encontrá-los, procure comprar memórias do mesmo lote.

Quanto a qualidade das memórias, podemos dizer que temos 2 tipos de memórias: as genéricas e as de marca.

As genéricas normalmente são as mais usadas por serem mais baratas e por serem mais fáceis de se encontrar. Já as memórias de marca, são normalmente usadas por Gamers ou Overclockers, por terem um desempenho e fidelidade superior, o que também pode ser traduzido em vida útil maior. Nos dias de hoje porém, a diferença de preço das memórias genéricas e das memórias de marca entry level (memórias de marca porém das categorias mais baixas) é bem baixa, ás vezes sendo menos de R$10,00 por pente, o que as torna cada dia mais atraente para o dia-a-dia de qualquer um já que a vida útil dessa memória pode ser bem maior.

Memórias genéricas: Nec, Samsung, Hynix, Elpidia, Titan, Markvision, Adata, Kingston (a entry level da Kingston tem sido considerada genérica em relação as memórias de marca, mas ainda sim é levemente melhor que as genéricas).

Memórias de marca: Crucial, Corsair, OCZ, Supertalent, Patriot, G.Skill (lembrando que essas memórias têm diversos modelos de vários levels, desde o entry level até o high end level).

Veja acima memórias genéricas e memórias de marca com dissipador de calor.

Esse é um componente que nem todos que compram PC compram placas de vídeo dedicadas. Pessoas ou empresas que só precisam de computadores para entrar na internet, usar o office para trabalhos e jogar paciência, geralmente compram PCs com placas onboard que já trazem o vídeo integrado.

De qualquer forma, não custa nada comprar uma placa, mesmo sendo onboard, com controlador de vídeo de primeira. Quando for comprar um PC onboard, verifique se o chipset é ATI, AMD ou NVidia e você terá um controlador de vídeo de primeirissima qualidade. Grande destaque para o chipset A780 e A790 da AMD que foi revolucionário no quesito vídeo onboard já que as placas mãe equipadas com ele podiam rodar o game Crysis, mesmo que na resolução mínima, porém um feiro inédito até então. Na mesma época a Intel lançõu o chipset G31 cujo controlador de vídeo tinha (conforme vários sites de review provaram) somente 6x menos desempenho que o concorrente.

Já quem compra uma placa de vídeo dedicada, deve ter vários cuidados. O primeiro deles é justamente qual modelo comprar.

Vejamos por exemplo 2 placas de vídeo GeForce modelos 9600 GT e 8800 GT. É comum muitas pessoas acharem que pelo fato da 9600 ser mais nova que a 8800, ela é melhor. Grande erro! O primeiro digito é equivalente a família, que quanto mais nova melhor e com mais recursos, porém o poder, a potência da placa vem no segundo digito, ou seja uma placa com o segundo digto sendo 8, é muito mais potente que uma com digito 6 ou seja, uma 8800 é mais velha porém mais potente que uma 9600.

Façamos uma uma analogia simples: Digamos que você tenha um Opala antigo, ótimo motor, potente. Sua esposa decide comprar um nova carro, um Ká 0km. Novo, já com injeção eletrônica, direção hidráulica e tal, porém por mais novo que seja, por mais recursos que tenha, jamais será mais potente que o Opala certo? Da mesma forma funciona as placas de vídeo.

Existe ainda um outro cuidado que deve ser tomado, qualidade da placa. Qual placa é melhor, uma placa com 512MB  ou outra com 1024MB? A maioria responderia a segunda opção correto? Depende!

A qualidade/potência da placa na verdade não é determinada pela capacidade dela, não com a quantidade de memória que ela tenha, mas sim com a largura de banda, ou seja, a quantidade de Bits x Frequênciada placa.

Uma placa de 512MB/256Bits tem uma potência e qualidade de processamento muito maior que uma de 1024MB/128Bits.

Um último cuidado é de nunca comprar placas conhecidas como Turbo Cache ou Hyper Memory, que são placas de baixa qualidade e que usam memória RAM do proprio PC assim como fazem as placas onboard. Funciona assim: Na caixa da placa está escrito bem grande 1024MB, mas se procurar na descrição da placa encontrará um valor assim 256/1024 que quer dizer que 256MB são dedicados da placa, porém para alcançar a quantidade de 1024MB a placa de vídeo precisa utilizar 768MB da memória RAM do PC e comprometendo a estabilidade do sistema.

Da esquerda para direita: ATI Radeon HD4890, ATI Radeon HD5450, Geforce 8800GT e Geforce 9600GT

Os Hd ou Hard Disk é um componente vital para o nosso PC e é nele que está concentrado o maior gargalo de todos.

Para quem não conhece hardware a fundo, os númeors que irei dizer aqui parecerão coisas de outro mundo, mas use-os apenas para caráter comparativo e irá entender ao menos o porque da lerdeza dos PCs nos dias de hoje.

Um processador acima do Pentium e que trabalha com FSB de 800MHz transfere 6400 MB/s (taxa máxima teórica), a memória para esse processador trabalha a 400 MHz e transfere 3200 MB/s (taxa máxima teórica) e por isso precisamos habilitar o Dual Channel usando 2 pentes idênticos. O HD por sua vez, mesmo o mais rápido, transfere apenas 300MB/s também teóricos, mas geralmente não ultrapassa 65MB/s devido a limitação de sua taxa de transferência interna.

Pelos números acima é possível averiguar quão desproporcional podem ser as taxas de transferência de dispositivos distintos, e fica claro que quando usamos algum aplicativo que usa demais o HD, nosso desempenho geral cai dráticamente.

É por isso também que quando nossa memória RAM é menor que a carga de dados que estamos processando e o SO usa a memória virtual, o desempenho despenca e a utilização do PC torna-se um martírio, afinal a memória virtual nada mais é que uma parcela do HD reservado como “área de troca”.

Ao escolher seu HD, prefira os que tenham 7200 RPM e com o maior cache possivel, o desempenho deles tendem a ser maior. É desejável também que entre no site do fabricante e veja as especificações de cada HD e escolha os que tenham menor tempo de acesso. Uma boa pedida são os Seagate Barracuda.

Se possível, monte um sistema RAID 0 ou RAID 5 (entenda melhor o sistema RAID clicando aqui) para um desempenho geral muito maior, com cerca de 30 a 40% chegando até um pouco mais quando falamos de aplicativos que usam o HD constantemente (aplicativos g’raficos, renderização 3D, compilação de audio e vídeo, jogos, etc).

E lembrando que desde que se mantenha um espaço livre de pelo menos 10% do disco, pode-se salvar tantas fotos ou mp3 quanto desejado que o computador não ficará mais pesado. Faça também uma desfragmentação de quando em quando, pois o HD grava os dados de forma aleatória e dispersas, e organizá-las vai agilizar a leitura.

De nada adianta comprar/montar um PC com peças de primeira, bem equalizado, e usar uma fonte de qualidade baixa para alimentá-lo.
Fontes nominais geralmente trabalham com apenas 60% do valor indicado na etiqueta e são fabricadas de modo rudimentar e usando componentes de qualidade mais baixa, o que acaba comprometendo bastante a qualidade e “pureza” da energia entregue ao PC. Costumam ter uma filtragem menos elaborada, o que tende a deixar ruídos passarem, causando assim ripples que podem deixar o sistema instável.

A escolha de uma fonte ruim, além de causar uma possível instabilidade no sistema como dito acima, pode também causar reinicializações bruscas ou travamentos quando sua carga não é o suficiente para suprir  a demanda dos componentes.

As fontes reais, além de serem muito mais aprimoradas, fabricadas com componentes melhores, elas são muito mais eficientes, já que consomem o mesmo tanto que uma fonte com a mesma capacidade e nominal, porém desperdiça muito menos em calor e aproveita muito melhor a energia.
Sua filtragem é muito melhor e a “pureza” da energia gerada é muito maior e bem mais confiável.

É necessario salientar que antes de escolher uma fonte, devemos lembrar que por mais barata e fraca que seja uma fonte real, ela sempre será no mínimo 3 vezes melhor que a melhor das fontes nominais e que independente da fonte escolhida, é preciso ter certeza que a fonte cobre a demanda dos componentes presentes no PC e ainda ter uma folga de pelo menos 20%, ou seja, se a soma do consumo do PC for 400 Watts, precisamos ainda de 80 Watts de reerva e para suprir essa necessidade é necessário uma fonte de pelo menos 500 Watts.

Use esse link para calcular o consumo do seu PC: Calculadora de potência.

Boas fontes: Thermaltake, OCZ, Superflower, HuntQ, Corsair, Aerocool, XFX, Cooler Master, Akasa, Seventeam.

Fontes reais custo benefício: Casemall, C3Tech, Empire, Ice Age.

Nunca economize em uma fonte, pode acabar custando mais caro num futuro próximo. É a economia mais infundada que pode existir na informática. Você compraria uma ferrari e abasteceria com gasolina adulterada?

O gabinete deve ser bem escolhido, mas não só por sua beleza, também por sua funcionabilidade e praticidade.

Um gabinete eficiente deve ter no mínimo 4 baias de 5 1/4 (bais de CD/DVD Rom), que é um tamanho ideal para uma boa circulação do ar e assim uma boa refrigeração.

De certa forma, quanto maior o gabinete, também é maior as chances de expansibilidade. O gabinte deve ser observado principalmente quando se compra uma placa de vídeo de alta capacidade que geralmente é grande e não se encaixa de forma correta em gabinetes estreitos e apertados.

Temos gabinetes de todos os tamanhos e gostos, e como dito acima, o principal é encotrar um gabinete que atenda suas necessidades e que tenha um sistema de arrefecimento eficiente.

Resumo

Com esse artigo, espero ter ajudado a sanar as principais dúvidas na hora de escolher um PC. Comprá-lo não é uma aventura fácil, porém não é um bicho de sete cabeças.

Se todas as precauções forem tomadas, você comprará/montará um PC eficaz, sendo ele top ou não, basta paciência e muita procura.

10 Respostas to “Comprando um novo PC”

  1. Caio F. Says:

    Aeee akira, o blog ta bem legal..
    procura postar mais coisas…
    Faz um post sobre ferramentas essencias pra um técnico em hardware..
    E me avisa quando tiver pronto seu cursso de virtualização, que quero ser da primeira turma !!!

    Flws cara.

  2. Marcelo Meneguini Says:

    Olá, estava vendo o forum da comunidade “como conserto meu pc?” e acabei achando seu blog que por sinal é muito completo, você está de parabéns, mas depois que eu li sobre comprando um pc novo eu tive algumas duvidas pois estou pra comprar um pc novo no caso apenas placa mãe, processador e memória, ai eu tive uma duvida enorme ao ler sobre FSB até tentei descobrir sozinho, mas, achei muitas informações e acabei ficando confuso ai eu te pergunto:
    uma placa mãe: ASUS M4A785TD-V EVO
    um processador: PHENOM II X4 965 BLACK EDITION
    daria certo? se sim quanto de memória você me recomendaria e qual velocidade das mesma?
    grato desde já e continue assim seu trabalho é muito bom!!

    abraços

    Marcelo Meneguini

    • Caro Marcelo, que bom que tenha gostado do Blog.
      Uma boa escolha a sua. A placa ASUS M4A785TD-V EVO é muito boa e completa. O chipset A785 é muito eficiente principalmente no quesito vídeo e RAID.
      Essa placa já não faz uso do FSB e sim dos Links Ponto-a-Ponto, o que a torna mais eficaz, muito rápida e com frequências reais muito mais elevadas.
      Quanto a memória, eu recomendaria Corsair XMS e de preferência 1600 (que na sua placa só roda nessa frequência se for em Overclock), porque assim ela rodará em 1333 sem esforço algum.
      []s

  3. belmira Says:

    AKIRA,

    achei o conteúdo muito bom.
    O que você acha do Mac OS X.

    Parabéns

    • Cara Belmira, obrigado!
      O que eu acho do OSX? Bem, eu acho o melhor OS já inventado pelo homem.
      Super seguro, leve e muuuito fácil de se mexer. Logo logo começo a postar dicas de OSX.

  4. belmira Says:

    muito obrigada pela resposta,
    estou aguardando.

  5. Weslley Says:

    O conteudo é muito bom cara!
    Estou pensando em comprar um notbook da Dell e lá no site não se especifica tudo para mim saber se a placa mãe e as outras peças são de qualiadade como s que vc sitou acima, vc me aconselha a comprar no site da Dell assim mesmo ou ir em uma loja e pedir todas as especificações???

    agradeço desde já!

    • Prezado, em notebooks nós não conseguimos saber qual a placa é usada, porém posso lhe adiantar que são placas dos próprios fabricantes.
      Comprar um note da Dell é um bom negócio, mas pelo mesmo valor você compra um Powernote muito melhor no site homônimo.
      Leve em conta apenas que esses fabricantes como Positivo, Megaware, CCE, Intelbrás inclusive Acer, normalmente se dão pau na placa mãe, muitas vezes não suportam reparos.

  6. Muito bom poster! Parabéns!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: